31/10/06

Democracia

Desde o início dos tempos, os regimes políticos das nações, eram autoritários, logo podiam dar-se ao luxo de dizer a verdade sobre o que queriam fazer. E quem não concorda-se, ia para a fogueira do sistema, fosse campo de concentração, deportação para a Sibéria, tortura, tiro na cabeça ou cicuta.
Mas nessa altura o povo não tinha educação e como tal reivindicava pouco ou nada, limitava-se a aceitar o que lhe impunha o sistema opressor.

Hoje em dia, em democracia, o autoritarismo deu lugar à arte de bem omitir e em alguns casos, à arte da mentira convicta. A arte de bem omitir é a forma de realçar um aspecto secundário como muito positivo, não mencionando o essencial. A mentira convicta é a melhor mentira que existe, visto que é dita com certeza, logo passa como verdade.

Como tal, para darmos mais passos em frente, rumo ao futuro, o investimento na educação é a melhor maneira de valorizar o povo e as nações, não só para que as pessoas não caíam nas mentiras/omissões dos políticos, como para que saibam quais os seus direitos e deveres cívicos, aplicando-os.

Embora considere a democracia como a melhor tentativa do ser humano, está longe de ser um sistema perfeito. Quem vota no puto?

5 comentários:

Carla disse...

Eu voto em ti!

Anónimo disse...

DEMOcracia ou demoncracy.

Concordo que é a tentativa mais actual e claramente a melhor até hoje. Mas não é sistema justo, é uma forma de controlo e para te deixar contente oferece-te direitos à custa de alguns deveres. Com papas e bolos se enganam os tolos. És mais exigente logo os bolos já têm que ser melhores, mas não deixam de ser bolos.
Sobre a educação é essencial para uma rEVOLUÇÃO, mas é importante também perceber quem está por detrás das matérias leccionadas, porque senão certas partes serão sempre omitidas.

Eu voto numa economia de subsistência, mas não a pratico

Boris disse...

Atenção que não estou a dizer se concordo ou desacordo:

Economia de subsistência?

Isso não seria voltar para a pré-história? E a evolução tecnologica? Acabava? Afinal de contas já temos tudo o que é preciso para subsistir, desde que haja terra, água, sementes e uma enxada.

cugy disse...

mais um voto pá casa

Anónimo disse...

Economia de subsistência no sentido de apenas utilizarmos aquilo que realmente precisamos, fugindo de um caminho de consumismo.

Não é necessário parar os avanços tecnológicos. É necessário é não danificar o nosso ecossistema como fazemos, com guerras e afins, e aqui culpo a democracia por nos colocar mais uma venda. Aliás já não é uma venda é apenas uma pala, porque todos sabemos o que se passa, é só ligar a tv.
Claro que as outras ideologias não estão isentas disto e todas foram pelos mesmos caminhos, mas não é preciso uma guerra para avançar tecnologicamente, podemos avançar em paz.

Infelizmente a terra terra, água, sementes e enxadas disponíveis, não são suficientes para sobrepopulação que enfrentamos actualmente e vai ser um problema que vai gerar mais guerras.